Eis então: é espantoso como não se pensa em segurança dentro das oficinas. O mau uso e a falta de conservação das ferramentas podem causar acidentes, inclusive machucando gravemente os trabalhadores. Por exemplo, soldas, tanto elétrica como oxi-acetilênica, estão entre as tarefas que precisam de prevenção.

O fato de que há falta de conscientização é um dos maiores fatores de risco. Produtos e ferramentas perigosas, arrumação física inadequada e armazenamento de ferramentas são alguns dos fatores que expõem o mecânico aos riscos de acidentes. Parece que o empregado que lida com a mecânica de automóveis acha que nunca vai acontecer nada com ele. Em cada atividade, como avaliar, preparar, consertar, limpar e entregar o veículo ao proprietário, há riscos.

Outros perigos estão relacionados ao uso de substâncias tóxicas como o benzeno, soluções de baterias e gases de petróleo, especialmente na manutenção de veículos. Também as substâncias químicas utilizadas nas oficinas que produzem vapores ou não são visíveis podem tornar-se vilões em acidentes. Quanto às embalagens que contenham solventes e substâncias inflamáveis, essas devem ser indicadas por rótulos, além de estarem afastadas das atividades da oficina. Qualquer faísca ou descarga elétrica próxima desses agentes químicos pode provocar incêndios e até mesmo explosões. Todas as fases envolvidas no conserto de um automóvel merecem atenção. E medidas preventivas são necessárias e bem-vindas.

Até a higienização das mãos, momento recorrente aos trabalhadores de oficinas mecânicas, deve ser feita de forma a protegê-las, usando pasta desengraxante à base de produtos naturais. Os mecânicos são vulneráveis às dermatoses de contato, por causa dos produtos à base de petróleo, que estão no dia a dia da atividade. Sim, mecânicos, é importante a utilização adequada de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva), que reduzem os índices de acidentes de trabalho nesses locais.

O uso de óculos e luvas de segurança, aventais impermeáveis e cremes de proteção evita o contato direto do trabalhador com as substâncias tóxicas que são manuseadas. Há ainda a importante utilização de protetores auriculares, uma vez que o excesso de ruído é comum nas oficinas. Caso seja preciso retirá-los para regular o motor dos veículos, esse processo deve ser repetido no máximo duas vezes por dia.

As botinas de segurança servem para proteger os pés de substâncias e até mesmo objetos e peças que eventualmente caiam no chão e possam provocar ferimentos se pisados. As máscaras com lentes de proteção contra radiação ultravioleta são necessárias ao desempenhar as atividades de soldagem.

O ambiente da oficina deve ter um sistema de iluminação e de exaustão adequado a fim de garantir a segurança de todos os que utilizam o espaço. A oficina também deve ter placas indicativas de que é proibido fumar. A questão ergonômica não pode ser esquecida, já que o trabalhador movimenta máquinas pesadas. É recomendado que se utilizem bancadas e cavaletes ao desmontar peças e motores, preferencialmente com o mecânico sentado. Na soldagem de tanques de combustíveis, é necessário conferir se houve a descontaminação e se os gases foram retirados. As condições seguras devem ser oferecidas pelo empregador, mas o empregado deve também cumprir os requisitos que envolvem a prevenção contra acidentes e doenças do trabalho.

Ah, treinamento, não pode faltar nesse ramo. Não é porque a maioria dos trabalhadores de oficina mecânica é homem, que entende de tudo, que vai deixar de reciclar-se, especialmente sobre os procedimentos de segurança.

FONTE : Emily Sobral
Publicado em: 21/03/2017 às 17:25:43